Pular para o conteúdo

15 Dicas para Apresentações de Trabalhos Acadêmicos

Preparar uma boa apresentação para algum trabalho acadêmico, seja uma aula, uma apresentação para uma disciplina ou a defesa de sua monografia, dissertação ou tese, nem sempre é uma tarefa fácil – tanto para professores como para alunos. Este post traz algumas dicas para elaboração de apresentações de trabalhos acadêmicos, que podem ajudá-lo a melhorar a qualidade de seus slides, oratória e postura.

*Este post teve a contribuição de Thereza Rachel Rodrigues Monteiro (Madre Tereza Colégio e Curso – João Pessoa/PB), Mariana Andrade Bezerra (UNIFIP Centro Universitário – Patos/PB) e Patrícia Costa e Silva Cruz (UNIFIP Centro Universitário – Patos/PB)

 

As dicas apresentadas a seguir são resultado da minha experiência enquanto docente e discente, na área de arquitetura, urbanismo e engenharias. Portanto, não são regras ou normativas, e sim experiências bem sucedidas, tanto em minhas próprias aulas e apresentações como também orientações de trabalhos acadêmicos. A depender as características do nível escolar que esteja estudando (ensino fundamental, médio, superior, pós-graduação), do curso e da sua realidade local, as dicas podem ser adaptadas para melhor atender as suas necessidades.

 

1- Planeje a Quantidade de Conteúdo e o Tempo de Apresentação

Um dos erros mais comuns em apresentações é a falta de planejamento prévio sobre o que vai se falar e quanto tempo irá ser utilizado para cada conteúdo. Não é difícil presenciar situações em que o palestrante dedicou muito tempo para um só slide, ou de ter vários sendo passados rapidamente, como se fossem desnecessários para entender o conteúdo. Isto é causado por falta de um planejamento prévio sobre o que falar na apresentação.

Estabeleça previamente a quantidade de conteúdo e separe o mais igualitariamente possível a quantidade de slides para cada um. Se for uma apresentação de uma pesquisa (como uma monografia), foque nos resultados. Use quadros resumos e diagramas para exibir  embasamento teórico e a metodologia. Mais detalhes sobre estes itens podem ser pesquisados depois, a partir das referências usadas, por quem se interessar em aprofundar no assunto.

Ainda sobre o conteúdo, lembre-se: nenhuma apresentação é completa o suficiente que possa abordar todos os tópicos de um determinado assunto. Ela é um resumo de uma parte específica, de um conhecimento específico, direcionada para um público igualmente específico. Portanto, coloque apenas o conteúdo que for necessário para compreender a temática e/ou que possa interessar à audiência.

Na programação do tempo de apresentação, leve em consideração que poderão haver muitas peguntas, dúvidas e debates sobre alguns tópicos exibidos. Então evite preencher todo o tempo disponível para a exposição do conteúdo (até por ser cansativo, tanto para quem apresenta como para quem assiste) e reserve uma margem de tempo para a troca de opiniões e argumentos. Se já tiver experiência com o tema, estabeleça partes chaves para abrir momentos de discussão.

Outra alternativa, se for uma aula, é preparar dinâmicas ou pequenos exercícios de fixação do conteúdo. Isto facilita que os alunos ou a platéia absorvam melhor as informações que estão sendo passadas. A interação com os ouvintes também é uma forma de ganhar a atenção e confiança deles, rompendo com o modelo tradicional e tornando o conteúdo palpável, aplicado.

Caso seja uma apresentação curta (em torno de 20 minutos), você pode tentar utilizar a técnica do Pecha Kucha, que consiste em uma apresentação de 20 slides, programados previamente para serem passados a cada 20 segundos. Isto torna a sua apresentação mais dinâmica, mas requer bastante treino para que sua oratória esteja sincronizada com a transição das imagens.

 

2- Saiba Apresentar o seu Trabalho – desde a Capa de Abertura

Um bom trabalho começa com uma boa capa. Isto não é um exagero: muitas pessoas cometem deslizes no slide inicial, como não escrever o título da apresentação por completo ou corretamente, não indicar as pessoas envolvidas no trabalho, filiação, entre outros erros. A capa do seu trabalho é um cartão de visitas: uma capa bem elaborada, atraente e com todas as informações necessárias sobre quem elaborou podem atrair pessoas a querer ouvir o que você quer falar Do contrário, vão achar sua apresentação entendiante desde o começo.

Apesar de não haver uma regra sobre o que se colocar na capa da apresentação, sugerimos os seguintes itens:

  • Filiação (nome da instituição em que está fazendo a apresentação, podendo incluir detalhes, como centro, departamento, setor ou curso);
  • Título completo da apresentação (incluindo subtítulo, se houver);
  • Nome da equipe responsável pelo trabalho, nome de quem vai apresentar ou ambos;
  • Se for para alguma atividade acadêmica, indicar qual é (disciplina, monografia, evento etc.);
  • Em caso de uma apresentação para congresso, é interessante inserir a logomarca do evento;
  • Local e Data.

Veja os exemplos abaixo, de capas de trabalhos para disciplina, congresso e aula:

 

O cuidado com a capa deve ser estendido ao trabalho como um todo. Padronize tipos, tamanhos e cores das fontes, do fundo do slide e do conteúdo em geral. Uma aula bem feita pode cativar alunos; uma apresentação de disciplina bem elaborada pode ajudar na nota final – também atrair novos contatos acadêmicos e profissionais. Prepare os slides com zelo e cuidado: sempre faça da sua próxima apresentação a melhor que você já elaborou.

 

3- Explore ao Máximo o Uso de Figuras, Fotos e Imagens

Outro erro bastante comum em apresentações é o uso de slides pouco atraentes (tanto pela falta como pelo excesso de informação). Uma boa dica é a utilização de figuras, fotos e imagens que exemplifiquem o conteúdo apresentado. Muitas áreas do conhecimento (ex. arquitetura e urbanismo, geografia, etc.) são bastante visuais, ou seja, tem como produtos ou subprodutos elementos visuais. Falar sobre cidades sem mostrar fotos ou mapas, que traduzam o que está se dizendo em algo espacial, dificulta a compreensão da apresentação.

Imagens de fundo são boas alternativa, pois além de ilustrarem o assunto, tornam o slide mais bonito. Dê preferência a imagens autorais (que você mesmo tirou ou elaborou) ou de repositórios de fotos gratuitas, como o Unsplash (um dos meus favoritos), Pixabay, Pexels, Freepik e o Fotos Públicas. É possível encontrar imagens de boa qualidade e resolução que podem ser usadas gratuitamente (geralmente só se exige que as imagens sejam devidamente creditadas), evitando problemas de direitos autorais (principalmente se sua apresentação for publicada na internet).

Abaixo temos alguns exemplos de aplicação das fotos e figuras:

É possível fazer slides mais simples, sem fotos de fundo, apenas utilizando cores e formas geométricas, mas tome cuidado com as combinações de cores e elementos, para não tornar a apresentação monótona.

 

4- Use Ícones, Gráficos, Tabelas, Quadros e Diagramas

Uma forma de tornar a apresentação mais minimalista, porém intuitiva e informativa, é a utilização de ícones, gráficos, tabelas, quadros e diagramas. Ícones bem escolhidos podem passar a ideia do conteúdo que está sendo mostrado. Gráficos e tabelas são interessantes para exibir dados quantitativos. Quadros podem ser aplicados para resumir informações qualitativas, como referencial teórico, resultados e considerações finais. Diagramas são excelentes para explicar fluxos e processos, como procedimentos metodológicos. Linhas do tempo são boas para resumir uma explicação de fatos históricos ou cronológicos.

Abaixo, alguns exemplos de cada:

 

5- Modere a Quantidade de Texto nos Slides

Talvez o erro mais comum e um dos que mais prejudique a qualidade da apresentação: excesso de texto. além de lhe direcionar para a leitura (o que não é recomendado), faz com que a platéia leia também, o que vai tornar cansativa e monótona sua apresentação. Uma apresentação é um recurso adicional e complementar  à leitura  dos livros e referências bibliográficas. Portanto, utilize poucos textos em forma de tópicos ou frases curtas, e evite utilizar citações diretas.

Exemplos de boas quantidades de texto no slide:

6- Tenha uma Apresentação Dinâmica com Vídeos e Gifs

Adicionar vídeos e gifs animados pode tornar a sua apresentação mais dinâmica e facilitar a explicação de como alguns processos e fenômenos ocorrem. Vídeos também podem ser utilizados como estratégia para manter a garganta saudável durante apresentações longas: enquanto é exibido o vídeo, o orador pode descansar a voz, poupando esforço vocal para mais adiante.

Caso utilize arquivos de vídeos, mantenha-o na mesma pasta da apresentação, pois se copiar os slides sem o vídeo para outro computador, a animação não irá funcionar. Se o computador em que irá usar para projetar os slides possui acesso a internet você pode colocar links de sites que contém os vídeos (ex. YouTube).

A vantagem de utilizar gifs é que as animações são preservadas independente de o arquivo original estar no computador ou não, ou se há acesso à internet: os gifs, enquanto figuras, preservam suas propriedades quando inseridos na apresentação. Abaixo segue um exemplo de gif que preparei para uma aula de geotecnologias:

UTM

 

7- Saiba Dosar os Tipos e Quantidades de Efeitos de Transição

Na tentativa de impressionar os demais com a qualidade da apresentação, muitas pessoas comete o erro em exagerar no uso de efeitos de transição: não somente na quantidade, mas também na qualidade do efeito, por vezes exagerado e sem harmonia nenhuma com o conteúdo apresentado. Se o efeito está chamando mais atenção que o conteúdo, retire-o. Uma boa apresentação se sustenta pela qualidade do conteúdo dos slides e também pela qualidade da exposição oral.

 

8- Salve sua Apresentação em Formatos Diferentes

Em se tratando de tecnologia, a maioria de nós já passou por problemas de compatibilidade de arquivos, principalmente quando são abertos em computadores de terceiros. Uma forma de evitar (ou pelo menos minimizar) este problema salvar o arquivo em formatos diferentes, desde versões mais antigas até em pdf, que é um formato de leitura universal. Se tiver uma apresentação Pecha Kucha, você pode salvar em formato de vídeo (ex.: mp4), para garantir que a transição dos slides não será comprometida. Cuidado: Ao salvar em versões anteriores do PowerPoint, você pode perder alguns estilos ou efeitos utilizados que estão disponíveis apenas nas versões mais recentes.

 

9- Treine a Apresentação

Após terminar de preparar sua apresentação, reserve um tempo para estudar e treinar a apresentação. Algumas pessoas costumam treinar apresentando para amigos ou familiares, ou simplesmente relendo todo o conteúdo expositivo. Independente da técnica que usar, lembre-se de ter domínio de tudo que será apresentado e a sequência do conteúdo.

Cuidado ao treinar a apresentação: evite decorar textos ou falas. Caso se esqueça de uma palavra ou um trecho da apresentação, você pode acabar travando a exposição, o que vai comprometer a qualidade da exposição. O ideal é que memorize os tópicos chave do trabalho e desenvolva a fala naturalmente, de maneira fluida. O improviso das palavras funciona bem quando se sabe o assunto a ser falado. Esta dica se conecta diretamente com a quantidade de textos nos slides: ao colocar tópicos ao invés de parágrafos longos, você terá um fio condutor do assunto, para desenvolver a sua fala naturalmente.

 

10- Tenha uma Postura Adequada

Em relação à exposição em si do conteúdo, são válidas algumas dicas com relação à postura de apresentação:

  • Mantenha-se sempre de pé (exceto que o momento exija estar sentado), com coluna ereta, sempre olhando de frente para o público;
  • Evite estar escorado constantemente numa mesa ou sentado, pois pode passar a impressão de desleixo. Apenas faça isso se for uma apresentação mais informal ou uma postura acordada previamente;
  • Não utilize chapéus ou bonés, a não ser que seja em um espaço público ou que tenha bastante luminosidade ou calor.
  • Cuidado com as roupas: não precisa se vestir como se fosse para o casamento do seu melhor amigo, tampouco como se tivesse acabado de acordar. Vista-se adequadamente para a ocasião, lembrando que sua oratória e os slides devem chamar mais a atenção que você.

 

11- Tenha o Controle da sua Expressão Oral

Além da postura, a forma de se expressar deve ser treinada cuidadosamente. Durante uma apresentação, evite o uso de gírias ou palavras de baixo calão. Ao invés de passarem uma visão de pessoa “descolada”, elas podem transmitir vulgaridade ou pouca preocupação/ cuidado com o momento. O ideal é falar de forma simples (sem palavras eruditas, mas com o rigor da língua), direta, de maneira que todos possam entender o que você está apresentando, mesmo pessoas leigas no assunto. Se você conseguir explicar o seu trabalho para sua mãe ou um amigo e eles entendem, é porque você está sendo claro e objetivo. Durante a fala, dirija seu olhar para todos, e evite focar olhar em apenas um local ou direção, pois pode parecer que está ignorando as demais pessoas.

 

12- Lembre-se: Você é a Pessoa que Mais Entende Seu Trabalho

Ter nervosismo durante apresentações é uma situação bastante comum, mas que pode atrapalhar a qualidade da exposição. O problema pode ser potencializado quando se é uma pessoa tímida ou com baixo estima. Lembre-se sempre: você é a pessoa mais entende seu trabalho. Os professores que estão a avalia-lo conhecem muito do assunto, mas pouco sobre seu trabalho em si, em como você o construiu, das ferramentas e meios para expor o assunto. Seus colegas podem ter estudado o assunto, mas você se profundou mais para realizar a apresentação.

Este momento também é para o professor aprender mais, e a avaliação deve ser levada como um momento de trocas de conhecimento, de auto avaliação e aprendizado. Então relaxe, fique tranquilo e aproveite o momento. Você está no controle da apresentação.

Caso tenha vergonha de olhar diretamente para as outras pessoas, fixe o olhar em pontos no fundo do local da apresentação, e mova o olhar entre estes pontos. Se fixar o olhar em um ponto só vai transparecer insegurança em olhar para todos os locais com pessoas assistindo. O movimento de olhar traz a sensação de dirigir sua atenção igualmente a todos, como um sinal também de consideração à atenção deles.

 

13- Liste todas as Referências Citadas, Pesquisadas e/ou Consultadas

Todo e qualquer trabalho acadêmico é feito a partir da pesquisa e leitura de referências – nenhum conteúdo científico surge do nada. Portanto, coloque, logo após o conteúdo e as considerações finais do seu trabalho, todas as referências bibliográficas citadas, pesquisadas ou consultadas. Trabalhos também são avaliados pela qualidade de suas referências. Bons trabalhos são feitos de boas referências. Caso você disponibilize sua apresentação na internet, os leitores poderão consultar as referências para se aprofundar mais no tema – ou seja, você pode ajudar outras pessoas em suas pesquisas e trabalhos. Lembre-se de referenciar as fontes corretamente, de acordo com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

referências

 

14- Saiba fazer um bom fechamento de apresentação

Além de uma boa apresentação, é necessário também um bom fechamento. Este item costuma ser tratado de forma opcional, mas considero importante tanto por uma questão de empatia como propaganda de seu trabalho: coloque um slide de agradecimento (um simples “obrigado” ou agradecimentos a quem contribuiu para a realização do trabalho, como uma agência de fomento, etc.) e seu contato (email, telefone, redes sociais).

O agradecimento é visto como uma forma de se conectar afetivamente com a platéia, ao demonstrar gratidão pela presença e atenção. Os contatos são importantes

fim

 

15- Se Possível, abra Espaço para Perguntas Após a Apresentação

Minha orientadora de doutorado sempre fala que a academia, seus momentos e ambientes (aulas, eventos, seminários) são fóruns de discussão. Expor um conteúdo sem que haja uma discussão acerca do que foi apresentado pouco contribui para o avanço do conhecimento. O senso crítico serve para avaliarmos a qualidade daquilo que nos foi mostrado. Portanto, é importante, sempre que possível, abrir um espaço para perguntas e dúvidas após a apresentação. Outros benefícios das perguntas e dúvidas são a possibilidade de complementar um conteúdo que foi pouco explorado na apresentação e fazer uma autoavaliação de sua exposição.

Como foi dito em dicas anteriores, uma apresentação acadêmica não é capaz de falar de todos os assuntos, e naturalmente haverão dúvidas sobre um tópico ou outro. Neste momento, você pode aprofundar o assunto, abordando informações que não estão nos slides. Em bancas de monografia, mestrado e doutorado, naturalmente já haverá o momento de considerações dos avaliadores, então não precisa nestes casos, perguntar por dúvidas.

Como nenhuma apresentação é perfeita o suficiente que não possa ser melhorada (ou abordada sob um ponto de vista diferente), podem haver comentários sobre o que pode ser melhorado na apresentação. Não leve as críticas para o lado pessoal: considere como uma oportunidade de saber como você pode aprimorar seu conhecimento sobre o assunto ou a forma de apresentar o conteúdo. E na para a próxima apresentação, avalie se você conseguiu suprir as deficiências encontradas.

Esperamos que as dicas ajudem vocês! Conhece outras dicas? Conta pra gente nos comentários! Até a próxima!

2 Comments »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: