Artigo: Acessibilidade à Serviços de Saúde na Pandemia

Foi publicado, no volume 2 do Boletim Semanal “Cidade e Pandemia” da Revista Políticas Públicas & Cidades, o artigo intitulado “Acessibilidade à Serviços de Saúde na Pandemia” de autoria de mim, Mariana Bezerra e Patrícia Soares, professoras da UNIFIP Centro Universitário. Neste trabalho, discutimos as facilidades e dificuldades do acesso aos equipamentos públicos de saúde, destinados à testagem e tratamento do COVID-19, tendo como estudo de caso a cidade de Patos, Paraíba, Brasil.

Continue Lendo “Artigo: Acessibilidade à Serviços de Saúde na Pandemia”

Place Syntax Tool para o QGIS 3

O Place Syntax Tool (PST) é um plugin, para realizar análises espaciais, que está disponível agora para o QGIS 3. Este post traz um breve tutorial de instalação do complemento.

Continue Lendo “Place Syntax Tool para o QGIS 3”

Artigo: Avaliação da Acessibilidade Física aos Condomínios de Alta Renda da Cidade de João Pessoa-PB

Foi publicado neste mês de Janeiro, o artigo intitulado “Avaliação da Acessibilidade Física aos Condomínios de Alta Renda da Cidade de João Pessoa-PB”, na revista Brazilian Journal of Development. Os autores são Anneliese Heyden Cabral de Lira, José Augusto Ribeiro da Silveira, Ana Gomes Negrão e Alexandre Augusto Bezerra da Cunha Castro (eu).

Continue Lendo “Artigo: Avaliação da Acessibilidade Física aos Condomínios de Alta Renda da Cidade de João Pessoa-PB”

Acessibilidade e Mobilidade Urbana: Escalas de Análise

Considerando que os fluxos e deslocamentos humano são os principais elementos estruturadores da cidade (VILLAÇA, 2001), a acessibilidade e mobilidade urbana são peças fundamentais para o planejamento urbano. Assim, entender seus conceitos e escalas são etapas necessárias para entender e planejar o espaço urbano. Este post traz alguns apontamentos sobre os conceitos de acessibilidade, mobilidade urbana e alguns parâmetros e escalas de análise.

Continue Lendo “Acessibilidade e Mobilidade Urbana: Escalas de Análise”

Modelos Baseados em Agentes na Sintaxe Espacial

Na Sintaxe Espacial, o Modelo Baseado em Agentes (Agent-Based Model – ABM, em inglês) é um modelo que busca simular o comportamento de movimento das pessoas, com base nas propriedades configuracionais e de visibilidade de um determinado espaço. Nesse post, será feita uma breve descrição do modelo, sua aplicabilidade e um breve tutorial de como realizar a simulação no software DepthmapX. Continue Lendo “Modelos Baseados em Agentes na Sintaxe Espacial”

Análise de Isovistas e Grafos de Visibilidade, Parte 2: Modelagem e Cálculo de Medidas

Nesse post será mostrado um tutorial sobre como modelar e calcular as medidas das Isovistas e Análise de Grafos de Visibilidade. Continue Lendo “Análise de Isovistas e Grafos de Visibilidade, Parte 2: Modelagem e Cálculo de Medidas”

Como Estudar a Vida Pública: Técnicas de Análise

No livro How to Study Public Life (Como Estudar a Vida Pública, em tradução livre), os autores Jan Gehl e Birgitte Svarre mostram a história dos estudos sobre interações sociais, métodos e técnicas para melhorar a vitalidade dos espaços públicos e atrair mais pessoas a usa-los, mostrando a importância desta vitalidade para o planejamento urbano. O capítulo 3 do livro trata das ferramentas para análise dessas interações sociais. Continue Lendo “Como Estudar a Vida Pública: Técnicas de Análise”

Mobilidade Urbana Ativa: 7 Benefícios para as Cidades

No Século XXI viu-se uma mudança de paradigma no que diz respeito às formas de deslocamento na cidade. O automóvel, tido por muitas décadas como única solução de mobilidade urbana, passou a ser substituído por alternativas ditas mais sustentáveis. Nesse rol de opções, a mobilidade urbana não motorizada, compreendida pelo andar a pé e de bicicleta, ocupa posição importante nas pesquisas e ações no planejamento dos transportes urbanos, como também um dos itens principais norteadores da Política Nacional de Mobilidade Urbana. Continue Lendo “Mobilidade Urbana Ativa: 7 Benefícios para as Cidades”

Qualidade do Transporte Público [Parte 3]

Voltando com a série de postagens sobre qualidade do transporte público, trago a terceira parte. Depois de uma breve introdução e de uma discussão sobre as características que afetam a qualidade, desta vez o assunto são os atributos da qualidade. Deveria ser a última parte, mas, para manter o tamanho médio das postagens até aqui, optei por dividir e estender esta série mais um pouco. A intenção continua sendo a divulgação científica, ou seja, procuro escrever de maneira que mesmo leitores não habituados com o assunto possam entender. Sugestões/críticas são sempre bem-vindas. Continue Lendo “Qualidade do Transporte Público [Parte 3]”